Palavras soltas, traduzindo pensamentos, sentimentos, desejos e insanidades...

O meu ser desorganizado, unindo tudo aquilo que deveria, mas ainda não é, ou tudo o que é, mas aliado a insensatez do ser, apenas existe...

Um espaço meu que divido com todos aqueles que não se contentam em apenas ser...

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Escrevendo para uma amiga


E o amor dói...

Acho interessante como podemos ter uma dor tão física, por um sentimento que não pode ser medido, nem visto...

Mas esse amor dói... e esse amor, é aquele mesmo amor, que no inicio, nos fazia delirar, sorrir e gargalhar, só ao ver aquele outro ser, apenas ser ele mesmo, e isso há tão pouco tempo era o suficiente para com que nos sentíssemos a pessoa mais feliz...

Mas o amor muda,

Os sonhos se desfazem, os sorrisos amarelam, as gargalhadas são trocadas por soluços e aquilo tudo que nos fazia bem, se transforma em um mundo de lagrimas, e como existem lagrimas dentro de nós, quando o amor passa a doer, questiono quando elas irão secar...

Não tem receita, e não existe nada, mas nada mesmo que possa fazer...

Quando um amor faz doer, mas aquela dor, não de perda, mas sim de certeza, que merecemos mais, é sinal que chegou realmente ao fim...

Posso escrever várias linhas de frases bonitas e pensamentos altruístas, mas não vai adiantar...

Quando o amor dói, tem que se viver até o fim, até a ultima dor, até a ultima lagrima, sentir como se todos os nossos poros estivessem expelindo aquele sentimento...

Meu conselho, grite, chore, rasgue as cartas, apague as fotos

As melhores lembranças são carregadas dentro de nós, e essas jamais serão apagadas, então se livre do que pode e não aumente sua dor...

Sou contra a idéia de achar que não deu certo, que foi tempo perdido, por mais piegas, todo sentimento que temos, nos transforma em algo diferente, seja melhor ou pior...

Então use essa dor,

Use essa dor para ser tudo aquilo que não foi antes, por falta de tempo, de coragem, ou de pura sacanagem mesmo.

A dor vai existir, mas depende de nós quanto tempo ela vai viver em nossa vida... quanto tempo daremos para ela...

Eu quero dar sempre menos, porque quero mais de vida...

Sinta toda a dor, mas sinta de uma vez, libertando-se, pois tenho certeza que o amor volta a sorrir e dar gargalhadas sempre...


Um comentário:

  1. Olá!
    Foi um grande prazer conhecer seu blog.Aproveito meu tempo para navegar e ler textos e poemas feitos por pessoas que gostam de escrever.
    Que bom que você é uma delas.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir